Investidor processa loja de colchões por golpe com criptomoedas

postado em 06 de Fevereiro de 2022 12h14

Um investidor processou a loja de sofás e colchões MSKonforto, parte do Grupo MSK Invest, após perder R$ 600 mil em um possível golpe com criptomoedas. O Grupo MSK é formado pelas empresas MSK Invest, Solaris Capital e MSKonforto, que diversificam os negócios para atendimento de clientes em vários setores. Na página da empresa, a informação disponível é que o grupo foi criado há cinco anos, com a MSKonforto tendo apenas 1 ano. Essa loja de sofás e colchões tem três prédios comerciais no Estado de São Paulo e acabou sendo processada por um cliente insatisfeito com o negócio da empresa. MSKonforto tem três lojas em São Paulo e faz parte do Grupo MSK.

Um cliente que investiu com a MSK Invest entrou na justiça de São Paulo na última terça-feira (1), pedindo urgência para que seu caso fosse avaliado. Na petição, ele declarou que investiu R$ 607 mil na empresa MSK acreditando nas promessas de remuneração de 2% a 5% ao mês. Como os pagamentos foram suspensos, ele ingressou na justiça para resolver a confusão.

Ao analisar o pedido em menos de 24 horas após a petição o juiz avaliou que a empresa atua com uma proposta de mercado similar a de uma pirâmide financeira, que promete muito rendimento ao mês.

“De outra banda, presente também no caso está a urgência ante a falta de remuneração, pela ré, dos valores mensais prometidos, aliada à informação de que encerrou suas atividades, consoante se infere às fls. 73/80, denotando, em sede de cognição sumária, que a forma de remuneração proposta se assemelha a um esquema de pirâmide financeira, notadamente pelo vultoso valor mensal prometido a título de remuneração, de 2 a 5% ao mês.”

A MSK Invest já foi alvo de ação pelo Procon-SP e segue sendo acionada na justiça por investidores insatisfeitos com o negócio, mesmo após prometer pagar eles em valores parcelados.

Em análise ao caso, o juiz que cuida do processo deferiu o pedido de tutela de urgência para bloquear valores nas contas da empresa ré. Segundo o juiz, caso esse bloqueio não seja feito com urgência, poderá se frustrar ao final.

“Assim, defiro em parte o pedido de tutela de urgência, com o fito de determinar o arresto on line nas contas da ré do importe de R$ 607.500,00, uma vez que a medida poderá se frustrar se concedida somente ao final”.

A MSK terá após a notificação da decisão apenas 15 dias para recorrer, devendo apresentar provas que sustentem sua posição no caso.

(Com informações e foto Livecoins)